fbpx

Uma vida no Araguaia

El barret de palla, el rem i les sandàlies són símbols de Pere Casaldàliga

A esperança vence o medo

A região do Araguaia é do tamanho do Acre. A maioria das estradas não são pavimentadas. O hospital minimamente equipado fica a 22 horas de ônibus e mais de 30% da população vive com um salário mínimo.

El poble Xavante va ser expulsat de la seva terra

Os grandes proprietários expulsaram os povos indígenas de suas terras ancestrais e impediram que milhares de pessoas tivessem um pedaço de terra para viver.

Hoje, as grandes empresas do agronegócio da soja desmataram mais de 80% do vegetação original e são as responsáveis da implementação de um modelo econômico que gera pobreza e exclusão.

A luta de Casaldáliga e sua equipe foi fundamental para que os povos Tapirapé, Karajá e Xavante recuperassem ou pudessem morar em suas terras. Além do mais, 15.000 famílias tem hoje um pedaço de terra para morar em algum dos assentamentos do Araguaia.

As desigualdades permanecem e a vida no campo ou nas aldéis é muito difícil. O desafio ambiental nesta região da Amazônia Legal é urgente.

Casaldàliga a les comunitats rurals de la seva Prelatura
Casaldàliga a les comunitats rurals de la seva Prelatura

A luta de Casaldáliga e sua equipe foi fundamental para que os povos Tapirapé, Karajá e Xavante recuperassem ou pudessem morar em suas terras. Além do mais, 15.000 famílias tem hoje um pedaço de terra para morar em algum dos assentamentos do Araguaia.

As desigualdades permanecem e a vida no campo ou nas aldéis é muito difícil. O desafio ambiental nesta região da Amazônia Legal é urgente.

El barret de palla, el rem i les sandàlies són símbols de Pere Casaldàliga

O que fazemos

A Fundação atua no Brasil através da Associação ANSA, fundada por Pedro Casaldáliga e a sua equipe em 1974, com a missão de atender às necessidades mais urgentes do povo do Araguaia.

Atualmente, trabalhamos sobre diversos aspectos da realidade do Araguaia, focando nos agricultores familiares e nas pessoas em situação de vulnerabilidade.

Projeto Socioambiental

O Projeto Socioambiental está trabalhando em assentamentos para recuperação de áreas desmatadas ou queimadas em decorrência da implantação do modelo de pecuária extensiva.

Organizando reuniões e encontros entre todos os envolvidos e, sobretudo, mantendo um trabalho constante de visitas técnicas às áreas destas comunidades, de planeamento, acompanhamento e avaliação de grupos, indivíduos e grupos. São considerados os interesses e possibilidades de cada família, utilizando diferentes espécies, desenhos e técnicas de plantio para realizar o reflorestamento. As mudas de árvores nativas são utilizadas intercaladas com a semeadura direta e diversificada de sementes. No plantio, a ANSA incentiva a cooperação de grupos de afinidade, promovendo esforços conjuntos.

  • Famílias participantes: 230
  • Comunidades envolvidas: Cidade de São Félix do Araguaia, Assentamento Dom Pedro, Assentamento Mãe Maria, Assentamentos Vida Nova I e II.

 

Camperols a São Félix do Araguaia

Mais de 230 famílias já fizeram pequenos pomares ou plantaram árvores frutíferas para se alimentar e reflorestar áreas desmatadas.

Polpa de Frutas Araguaia

Administrada pela ANSA desde 2000, a Polpa de Frutas Araguaia existe de forma estruturada desde 2005. A fábrica está localizada em São Félix do Araguaia e produz polpas naturais congeladas de 20 frutas nativas e cultivadas na região.

Todos os anos, cerca de 250 pessoas distribuem frutas no Araguaia Polpa de Frutas. A maioria são agricultores periurbanos ou assentados. Para os agricultores periurbanos, é uma forma de complementar a renda familiar aproveitando os frutos das roças e das fazendas, e para os assentados é uma alternativa real para diversificar a produção de suas terras.

  • Famílias participantes: 250
  • Comunidades envolvidas: São Félix do Araguaia, Assentamento Dom Pedro, Assentamento Bordolândia.

 

Famílias coletam e plantam frutas no Araguaia

Famílias coletam e plantam frutas no Araguaia

Crédito Popular Solidário

Em São Félix do Araguaia é comum encontrar pequenos cartazes em frente às casas anunciando “manicure”, “costureira” ou “veja bananas”. As pequenas empresas informais são uma parte importante da economia local, mas têm capacidade limitada para investir e crescer. São trabalhadores criativos do campo ou da cidade, mas sem capital e sem condições de acesso ao crédito dos bancos tradicionais. Foi justamente com o apoio dessas pessoas que nasceu o projeto Crédito Popular Popular (CPS) ANSA.

A diferença entre o microcrédito e o crédito tradicional concedido pelo sistema bancário não está apenas no montante emprestado. Embora os bancos comerciais exijam garantias materiais para conceder um empréstimo, no microcrédito a garantia é a própria comunidade. Uma relação de confiança é criada entre os membros de um grupo de solidariedade e entre esse grupo e o oficial de crédito. No grupo solidário, os membros se apóiam nas atividades produtivas. A equipe CPS está presente para apoiar o andamento dos projetos e pagamentos. Assim, a origem latina da palavra crédito é assumida, credere, com o significado completo de “acreditar”.

  • Famílias participantes: 400
  • Comunidades envolvidas: São Félix do Araguaia e Assentamento Dom Pedro

Microcrédito no Araguaia

Donem petits préstecs, amb la garantia de la paraula comunitària, per muntar petits negocis informals

Saúde no jardim

O projeto Saúde na Horta procura evidenciar este conhecimento, oferecendo à população suplementos alimentares e remédios naturais e promovendo a investigação e sistematização do conhecimento e utilizações das plantas medicinais. Todas essas informações são compartilhadas por meio de intercâmbios, workshops e visitas guiadas ao jardim.

O projeto começou em 2006 a partir do legado de conhecimento sobre remédios caseiros da Pastoral da Criança em São Félix do Araguaia. Nestes oito anos de trabalho contínuo, Saúde na Horta consolidou-se na promoção da saúde natural num município onde o sistema convencional de saúde apresenta uma estrutura física e pessoal insuficiente. Ao mesmo tempo, o conhecimento sobre as propriedades medicinais de plantas nativas ou cultivadas, embora subvalorizado, é generalizado entre a população local.

  • Famílias participantes: 100
  • Comunidades envolvidas: São Félix do Araguaia
Fabricació de xarop amb mètodes tradicionals

Fabriquem medicaments amb plantes medicinals de l’Amazònia i el Cerrado per prevenir dolències a les comunitats més excloses.

 

Articulação Xingu-Araguaia

A região do Araguaia tem o mesmo tamanho da Grécia. A maioria das estradas não são pavimentadas e na época das chuvas elas se tornam intransitáveis.

Neste contexto, é fácil compreender que as parcerias e articulações entre os atores sociais são mais do que necessárias para a concretização dos objetivos dos projetos que desenvolvemos. Ao longo de nossos mais de 40 anos de existência, sempre colaboramos com outras organizações da sociedade civil que atuam na região.

Respondendo a essa vocação de “construir coletivamente”, nos últimos anos promovemos, por exemplo, uma estratégia de ação com a organização indígena Operação Amazônia Indígena (OPAN) para trabalhar com o Povo Xavante da terra indígena Marãiwatsédé.

Também, para aprimorar a estratégia socioambiental, participamos ativamente da Rede de Sementes do Xingu, que reúne mais de 500 famílias de camponeses que se dedicam a colher sementes, prepará-las e comercializá-las para reflorestar a Amazônia. < / p>

Collita de llavors a l'Assentament Dom Pedro

El Sr. João Carlos és un dels col.lectors de llavors a l’Assentament Dom Pedro

 

 

El barret de palla, el rem i les sandàlies són símbols de Pere Casaldàliga

Como trabalhamos

Todas as atividades e projetos realizados no Araguaia partilham o lema que Casaldáliga nos ensinou: “ser povo no meio do povo”. Por isso, no dia a dia, concretizamos uma prática pautada nos seguintes princípios básicos.

Acolhida gratuita e útil

“Capacidade de acolher e diaconia. Não apenas descer do burro e cuidar dos caídos quando, por acaso, os encontramos à beira da estrada, mas nos fazendo presentes. Às vezes acolher apenas com uma palavra ou um sorriso, mas sempre acolhedor, gratuito. Temos que tornar todos os ministérios e todas as profissões esse serviço generoso e abnegado.”

Pedro Casaldáliga

Coexistência fraternal-sororal

“Essa é a síntese do novo mandamento. Este é o maior e mais diário desafio para indivíduos, comunidades e povos. Conviver, não apenas coexistir; viver afetuosamente em fraternidade e irmandade; não apenas na tolerância mútua. Ajudando a tornar a vida agradável.”

Pedro Casaldáliga

Testemunha de coerência

“Diz-se que vivemos na civilização da imagem; que o mundo quer “ver”. Testemunhar, hoje mais do que nunca, quando tudo é visto e conhecido, deve ser consistente, sem falta, na vida pessoal e social. Este mundo, tão prejudicado por mentiras e corrupção, exige verdade e transparência. ”

Pedro Casaldáliga

Compromisso profético

“Agora é a hora -e talvez mais do que nunca- de nos comprometer profeticamente contra o deus neoliberal da morte e da exclusão. A caridade sócio-política é a forma mais estrutural de caridade : Ela vai até as causas, não fica apenas nos efeitos. Cuida da vida. Transforma a história.”

Pedro Casaldáliga

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies

Gràcies per fer un donatiu!

A continuació et demanarem algunes dades 

You have Successfully Subscribed!

Gracias por tu donativo!

A continuación te pediremos algunos datos

 

You have Successfully Subscribed!

Obrigado pela sua ajuda!

A seguir, lhe pediremos algumas informações

You have Successfully Subscribed!