fbpx
Presentació de la Fundació Pere Casaldàliga

“Assumimos a responsabilidade de continuar o trabalho de Pedro Casaldáliga”

22 fev, 2021

“Para que haja um novo mundo, deve haver novas relações”. Estas são palavras de Pedro Casaldáliga que foram lembradas nesta terça-feira à noite na apresentação da Fundação que leva seu nome. Um evento que reuniu, sobretudo, pessoas do Brasil, da Catalunha e do resto da Espanha, reunidas para recordar este “profeta da esperança” no aniversário de seu nascimento.

Assim nasceu uma entidade dedicada a zelar pelo seu legado e pela continuidade de suas causas. “Até agora esta tarefa tinha sido fácil porque Pedro nos guiou nas ações que tínhamos que fazer; com sua morte ele nos deixou um grande vazio e também a responsabilidade de continuar todo este trabalho e as causas pelas quais lutar”, explicou a presidente desta nova entidade, Gloria Casaldáliga.

“Da Fundação compartilhamos a idéia de que o lugar, o lugar de referência na Catalunha e na Europa do legado de Pedro deve ser Balsareny”, disse ela. Na diocese de São Félix do Araguaia a entidade trabalhará para apoiar a Associação ANSA, criada por Dom Pedro e Irmã Irene Franceschini na década de 70 e que hoje trabalha para a recuperação ambiental da região, promove a justiça e a paz, e atende às necessidades sociais da região.

Quanto ao legado físico, a Fundação Pedro Casaldáliga apoiará a musealização da casa onde Casaldáliga viveu. Também o seu arquivo, que tem mais de 250.000 documentos, uma amostra “da luta pela terra, da causa indígena e da Teologia da Libertação“. Outros espaços emblemáticos que a Fundação pretende ajudar a preservar são o Santuário dos Mártires, onde o padre João Bosco foi assassinado, e o mesmo cemitério, às margens do rio Araguaia, onde o bispo Pedro foi enterrado em agosto passado.

A diretora do portal Catalunha Religião, Laura Mor, que apresentou o evento, disse que este nascimento é um sinal de que “Pedro tem gerado muita vida”. E como jornalista, sublinhou a força comunicativa do personagem, “a credibilidade de sua coerência” e “a capacidade de abalar as consciências”. Casaldáliga foi autor de mais de cem livros, incluindo poemas, cartas e artigos publicados em vários meios de comunicação. Entre seu trabalho incansável destaca sobretudo o trabalho de denunciar as estruturas que geram injustiça e exclusão.

Uma pequena amostra de sua “sensibilidade poética” de Casaldáliga foi oferecida por várias crianças que, de Mato Grosso, no Brasil, e de Balsareny, na Catalunha, recitaram poemas de Casaldáliga. Em português, nas margens do Araguaia e, em catalão, desde às margens do Rio Llobregat. “Com o rio, símbolo de vida e encontro entre os povos”, explicou Laura Mor na apresentação do recital. Mor também destacou a importância de transmitir a memória de Casaldáliga “para as novas gerações”. “Nem sempre temos que começar tudo de novo, mas precisamos de exemplos e modelos para os mais jovens”.

Como personalidade de referência e que compartilha a mesma esperança que Casaldáliga, no ato também se teve uma lembrança para o ex-presidente de Justiça e Paz, Arcadi Oliveres, ativista pela paz, que facilitou o trabalho da Associação Araguaia com o bispo Casaldáliga durante todos estes anos e que hoje enfrenta o fim de sua vida com serenidade e esperança, assim como ele viveu, aberto aos outros.

Os promotores da iniciativa encorajaram as pessoas a colaborar com a Fundação: “Com esta esperança e ilusão, convidamos vocês a apoiar este sonho, apoiando e participando de todas as iniciativas que realizamos a partir da Fundação”.

Podem recuperar o ato completo no link:

[Texto original de Laura Mor, para Catalunha Religião.]

ASSINE O BOLETIM

Conheça Pedro Casaldáliga
e as suas Causas

.

AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Deus e a COVID19

Deus e a COVID19

Pergunta sobre o “papel” de Deus durante a pandemia de COVID19 recebida no portal teológico amigo servicioskoinonia.org. O ponto de vista que oferece pode ser interessante para você nos dias que estamos vivendo.

ler mais
Dia do índio 2021: a luta Xavante continúa

Dia do índio 2021: a luta Xavante continúa

Neste Dia do Índio de 2021 fazemos memória de uma das lutas indígenas mais emblemáticas do Brasil: a retomada da Terra Indígena Marãiwatsédé por parte do Povo Xavante, cuja área foi ocupada por latifundiários e que, em 2012, provocou umas das últimas tentativas de assassinar Pedro Casaldáliga.

ler mais
Carta aberta ao irmão Romero

Carta aberta ao irmão Romero

Impressionante, dura, profunda e comprometedora carta que Casaldáliga envia a Óscar Romero 25 anos depois de seu assassinato pela extrema direita em El Salvador.

ler mais

Pin It on Pinterest