fbpx
Presentació de la Fundació Pere Casaldàliga

“Assumimos a responsabilidade de continuar o trabalho de Pedro Casaldáliga”

22 fev, 2021

“Para que haja um novo mundo, deve haver novas relações”. Estas são palavras de Pedro Casaldáliga que foram lembradas nesta terça-feira à noite na apresentação da Fundação que leva seu nome. Um evento que reuniu, sobretudo, pessoas do Brasil, da Catalunha e do resto da Espanha, reunidas para recordar este “profeta da esperança” no aniversário de seu nascimento.

Assim nasceu uma entidade dedicada a zelar pelo seu legado e pela continuidade de suas causas. “Até agora esta tarefa tinha sido fácil porque Pedro nos guiou nas ações que tínhamos que fazer; com sua morte ele nos deixou um grande vazio e também a responsabilidade de continuar todo este trabalho e as causas pelas quais lutar”, explicou a presidente desta nova entidade, Gloria Casaldáliga.

“Da Fundação compartilhamos a idéia de que o lugar, o lugar de referência na Catalunha e na Europa do legado de Pedro deve ser Balsareny”, disse ela. Na diocese de São Félix do Araguaia a entidade trabalhará para apoiar a Associação ANSA, criada por Dom Pedro e Irmã Irene Franceschini na década de 70 e que hoje trabalha para a recuperação ambiental da região, promove a justiça e a paz, e atende às necessidades sociais da região.

Quanto ao legado físico, a Fundação Pedro Casaldáliga apoiará a musealização da casa onde Casaldáliga viveu. Também o seu arquivo, que tem mais de 250.000 documentos, uma amostra “da luta pela terra, da causa indígena e da Teologia da Libertação“. Outros espaços emblemáticos que a Fundação pretende ajudar a preservar são o Santuário dos Mártires, onde o padre João Bosco foi assassinado, e o mesmo cemitério, às margens do rio Araguaia, onde o bispo Pedro foi enterrado em agosto passado.

A diretora do portal Catalunha Religião, Laura Mor, que apresentou o evento, disse que este nascimento é um sinal de que “Pedro tem gerado muita vida”. E como jornalista, sublinhou a força comunicativa do personagem, “a credibilidade de sua coerência” e “a capacidade de abalar as consciências”. Casaldáliga foi autor de mais de cem livros, incluindo poemas, cartas e artigos publicados em vários meios de comunicação. Entre seu trabalho incansável destaca sobretudo o trabalho de denunciar as estruturas que geram injustiça e exclusão.

Uma pequena amostra de sua “sensibilidade poética” de Casaldáliga foi oferecida por várias crianças que, de Mato Grosso, no Brasil, e de Balsareny, na Catalunha, recitaram poemas de Casaldáliga. Em português, nas margens do Araguaia e, em catalão, desde às margens do Rio Llobregat. “Com o rio, símbolo de vida e encontro entre os povos”, explicou Laura Mor na apresentação do recital. Mor também destacou a importância de transmitir a memória de Casaldáliga “para as novas gerações”. “Nem sempre temos que começar tudo de novo, mas precisamos de exemplos e modelos para os mais jovens”.

Como personalidade de referência e que compartilha a mesma esperança que Casaldáliga, no ato também se teve uma lembrança para o ex-presidente de Justiça e Paz, Arcadi Oliveres, ativista pela paz, que facilitou o trabalho da Associação Araguaia com o bispo Casaldáliga durante todos estes anos e que hoje enfrenta o fim de sua vida com serenidade e esperança, assim como ele viveu, aberto aos outros.

Os promotores da iniciativa encorajaram as pessoas a colaborar com a Fundação: “Com esta esperança e ilusão, convidamos vocês a apoiar este sonho, apoiando e participando de todas as iniciativas que realizamos a partir da Fundação”.

Podem recuperar o ato completo no link:

[Texto original de Laura Mor, para Catalunha Religião.]

ASSINE O BOLETIM

Conheça Pedro Casaldáliga
e as suas Causas

.

AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

LANÇAMENTO: «Ventos de profecia na Amazônia»

LANÇAMENTO: «Ventos de profecia na Amazônia»

Como se organizava a Prelazia de São Félix do Araguaia? Quais foram as ações pastorais, sociais e políticas de uma igreja “em conflito com o latifúndio” e a ditadura? Quais estratégias desenvolveram para se colocar sempre ao lado dos mais marginalizados? Antônio Canuto, que morou naquela comunidade por 26 anos, nos conta. Sem intermediários!

ler mais
Iª Semana Pedro Casaldáliga

Iª Semana Pedro Casaldáliga

Neste primeiro aniversário da Páscoa de Pedro Casaldáliga, a cidadezinha onde nasceu, Balsareny e a cidade à qual dedicou metade da sua vida, São Félix do Araguaia, vão acolher várias celebrações com um lema comum: A esperança e a luta pela libertação.

ler mais

Pin It on Pinterest